26 OUT 2020 | ATUALIZADO 23:16
NACIONAL
COM INFORMAÇÕES DO G1
28/09/2020 16:16
Atualizado
28/09/2020 16:20

Bombeiros tentam controlar fogo em área de proteção ambiental do Palácio do Jaburu

A+   A-  
O local é a residência oficial do vice-presidente da República, Hamilton Mourão. De acordo com o Corpo de Bombeiros, cinco equipes estão no local para tentar controlar o fogo, considerado de grandes proporções. A fumaça pôde ser vista de longe; A Secretaria-Geral da Presidência da República ainda não se pronunciou sobre o incêndio
Imagem 1 -
FOTO: DIVULGAÇÃO/CBMDF

Um incêndio florestal de grandes proporções atingiu, nesta segunda-feira (28), a área de proteção ambiental do Palácio do Jaburu, residência oficial do vice-presidente da República, Hamilton Mourão.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, cinco equipes estão no local para tentar controlar o fogo. A fumaça pôde ser vista de longe.

O G1 questionou a Secretaria-Geral da Presidência da República sobre o incêndio mas, até a última atualização, o órgão não havia se manifestado.

FOGO NO PANTANAL E CONSEQUÊNCIA PARA OS ANIMAIS AFETADOS

As queimadas no Pantanal devem gerar impactos diretos e indiretos no bioma, incluindo falta de alimentos, desequilíbrio ambiental e risco de extinção de animais. É o que afirma um relatório do Instituto Homem Pantaneiro (IHP).

O documento foi anexado ao inquérito da Polícia Federal que investiga quatro fazendeiros por suspeita de iniciarem os incêndios que destruíram mais de 25 mil hectares do Pantanal, em Mato Grosso do Sul.

O Instituto Homem Pantaneiro é responsável pela gestão de algumas reservas da Serra do Amolar, região considerada a mais preservada do Pantanal.

De acordo com o documento, assinado pela doutora em Ecologia e Conservação Letícia Larcher e pelo médico veterinário Diego Viana, os animais do bioma podem sofrer com a exposição de predadores, alteração de fauna, flora e alimentos, além de terem mudanças nos padrões de comportamento, migrações e na estrutura alimentar no ecossistema. Algumas espécies ainda podem ter o risco de extinção ampliado.


Notas

AME

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário