05 AGO 2021 | ATUALIZADO 06:39
ESTADO
19/07/2021 16:36
Atualizado
20/07/2021 08:24

Em quatro anos RN deve dobrar produção de energia eólica e chegar a 10,8 gigawatts

A+   A-  
A expectativa do secretário do Estado do Desenvolvimento Econômico, Jaime Calado, é que de acordo com o que já está contratado atualmente, o Rio Grande do Norte deve chegue a 10,8 gigawatts nos próximos quatros anos. A partir de 2024, mais 20 usinas eólicas devem entrar em funcionamento no estado, o investimento previsto é de 1,4 bilhão.
Imagem 1 -  A expectativa do secretário do Estado do Desenvolvimento Econômico, Jaime Calado, é que de acordo com o que já está contratado atualmente, o Rio Grande do Norte deve chegue a 10,8 gigawatts nos próximos quatros anos. A partir de 2024, mais 20 usinas eólicas devem entrar em funcionamento no estado, o investimento previsto é de 1,4 bilhão.
A expectativa do secretário do Estado do Desenvolvimento Econômico, Jaime Calado, é que de acordo com o que já está contratado atualmente, o Rio Grande do Norte deve chegue a 10,8 gigawatts nos próximos quatros anos. A partir de 2024, mais 20 usinas eólicas devem entrar em funcionamento no estado, o investimento previsto é de 1,4 bilhão.

O Rio Grande do Norte vem batendo seguidos recordes de geração de energia eólica e contribuído para o sistema nacional de geração de energia, amenizando as dificuldades impostas pela crise hídrica responsável pelo aumento da conta de energia dos Brasileiros. O estado é o maior produtor de energia limpa do pais.

O secretario do Estado do Desenvolvimento Econômico, Jaime Calado, disse em entrevista a uma emissora de rádio nesta segunda-feira (19), que a capacidade instalada no estado deve aumentar nos próximos meses.

“O RN, hoje, reúne os melhores fatores do mundo para produção de energia renovável, tanto em terra quanto em mar. E o que está acontecendo é só o começo” explica o secretario.

Segundo Jaime Calado, o Rio Grande do Norte tem a capacidade de geração de energia eólica que ultrapassa cinco gigawatts.

“Nós, hoje temos uma capacidade de energia em terra, de 25 a 30 gigawatts e de, no mínimo, 110 gigawatts em mar. Para se ter ideia dessa riqueza, Taipu produz um pouco menos de 26 gigawatts” comparou o secretário.

A expectativa de Jaime calado, de acordo com o que está contratado atualmente, é que o Rio Grande do Norte deve chegar a 10,8 gigawatts nos próximos quatros anos, dobrando a capacidade de produção. A partir de 2024, mais 20 usinas eólicas devem entrar em funcionamento no estado, o investimento previsto é de 1,4 bilhão.

“Hoje nós temos quatro grandes projetos com pedidos de licença em andamento no Ibama, só eles já representam muito mais o que já produzimos atualmente” destaca o secretário.


Notas

Posto JP - Maio de 2021

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário