22 JAN 2022 | ATUALIZADO 23:18
POLÍCIA
26/11/2021 18:12
Atualizado
26/11/2021 21:29

Deicor cumpre novos mandados de prisão contra “Nem do Abolição” e outras 9 pessoas

A+   A-  
A 8ª fase da Operação “1814” foi deflagrada nesta quinta-feira (25), com o objetivo de desarticular uma Organização Criminosa especializada em tráfico de drogas, roubo a bancos e ataques a carros-fortes, todos ligados a uma facção criminosa. O mossoroense Carlos Alexandre Martins Salviano, o “Nem do Abolição”, considerado um dos maiores traficantes internacionais, já cumpre sentença por vários outros crimes, desde fevereiro de 2020, quando foi preso pela PRF, tentando fugir do estado. Um mandado também foi cumprido contra a esposa dele, Fernanda Belarmino da Silva, e contra o irmão da Prefeita de João Dias, José Romeu Jácome, ambos também já presos; veja quem são e os nomes dos demais.
Imagem 1 -  A 8ª fase da Operação “1814” foi deflagrada nesta quinta-feira (25), com o objetivo de desarticular uma Organização Criminosa especializada em tráfico de drogas, roubo a bancos e ataques a carros-fortes, todos ligados a uma facção criminosa. O mossoroense Carlos Alexandre Martins Salviano, o “Nem do Abolição”, considerado um dos maiores traficantes internacionais, já cumpre sentença por vários outros crimes, desde fevereiro de 2020, quando foi preso pela PRF, tentando fugir do estado. Um mandado também foi cumprido contra a esposa dele, Fernanda Belarmino da Silva, e contra o irmão da Prefeita de João Dias, José Romeu Jácome, ambos também já presos; veja quem são e os nomes dos demais.
A 8ª fase da Operação “1814” foi deflagrada nesta quinta-feira (25), com o objetivo de desarticular uma Organização Criminosa especializada em tráfico de drogas, roubo a bancos e ataques a carros-fortes, todos ligados a uma facção criminosa. O mossoroense Carlos Alexandre Martins Salviano, o “Nem do Abolição”, considerado um dos maiores traficantes internacionais, já cumpre sentença por vários outros crimes, desde fevereiro de 2020, quando foi preso pela PRF, tentando fugir do estado. Um mandado também foi cumprido contra a esposa dele, Fernanda Belarmino da Silva, e contra o irmão da Prefeita de João Dias, José Romeu Jácome, ambos também já presos; veja quem são e os nomes dos demais.
FOTO: REPRODUÇÃO

Nesta quinta (25) e sexta (26), policiais civis da Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (DEICOR/RN), realizaram uma operação interestadual de repressão qualificada. Com o objetivo de desarticular uma Organização Criminosa especializada em tráfico de drogas, roubo a bancos e ataques a carros-fortes.

A 8ª fase da Operação “1814”, que contou com o apoio do DRACO/PCCE e DRACO/PCPB, aconteceu nas cidades de Natal/RN, de Patos/PB e de Fortaleza/CE.

Ao todo, foram cumpridos dez mandados de prisão preventiva. Entre os alvos dos mandados estão:

- Carlos Alexandre Martins Salviano, o "Nem da Abolição", mossosoense considerado um dos maiores traficantes internacionais de drogas. Ele já cumpre sentença por vários outros crimes, desde fevereiro de 2020, quando foi preso pela PRF, tentando fugir do estado.

Veja mais:

PRF prende Nem do Abolição, o mossoroense mais procurado do Estado


- Fernanda Belarmino da Silva, esposa de “Nem” e considerada umas das maiores traficantes interestaduais do país. Fernanda também está presa desde março de 2021, quando foi encontrada pela Polícia de Sergipe, em hotel localizado na Orla de Atalaia, em Aracaju.

Veja mais:

Polícia de Sergipe recaptura uma das maiores traficantes de drogas do RN


- Thiago Marques de Araújo, o "Nino", que era o gerente do tráfico de drogas do “Nem do Abolição”.

- Pablo Diego Marcolino da Costa, vulgo "Chupeta" é grande traficante de drogas, inclusive importa entorpecentes de fora do país e os distribuía no RN.

Veja mais:

Investigação mostra que Nem do Abolição ordenou morte de empresária, em Mossoró

Presos suspeitos de integrar "orcrim" que comanda o tráfico em Mossoró


- Mayksamy dos Santos Pontes, o "Makita", ladrão de banco e traficante com atuação nas Cidade de Tangará e circunvizinhas.

- Edson Gonçalves De Macedo, o "Loprão", conhecido como sendo a liderança do Comando Vermelho no RN, sendo também grande traficante de drogas com maior atuação no Seridó.

- Jefson de Souza Almeida, o "Jefinho ou Pirulito", traficante de drogas de Natal e ligado ao “Nem” e Fernanda Belarmino.

- José Romeu Jácome de Oliveira, preso mais uma vez acusado de tráfico de drogas internacional. Ele já estava preso desde outubro deste ano. Ele e seus três irmãos, à época em que estavam soltos, eram fornecedores de drogas para o “Nem do Abolição”, que distribuía para os demais traficantes, todos objeto de investigação e ora presos. No dia da prisão de Romeu, dois irmãos dele, Francisco Deus Amor Jácome de Oliveira e Leidjan Jácome de Oliveira, morreram em confronto com a polícia da Bahia.

Veja mais:

PC prende narcotraficante irmão da prefeita de João Dias; outro dois irmãos são mortos em confronto


Durante as diligências também foi dado cumprimento ao mandado de prisão em desfavor de Valdenor Xavier de Souza Júnior, o "Júnior dos Remédios", considerado um dos maiores ladrões de banco do Nordeste, além de movimentar grande quantidade de drogas.

Ele foi preso no Estado da Paraíba, Cidade de Patos/PB, pela equipe do DRACO/PB e pela PRF/PB, em conjunto. Posteriormente foi recambiado ao RN por uma equipe da DEICOR.

O homem havia fugido do Presídio PB1 da Paraíba, em 2018, quando houve uma explosão e o seu resgate, juntamente com mais 104 presos. Meses após, foi preso pela Deicor, naquele mesmo ano.

No estado do Ceará foi dado cumprimento ao mandado de prisão em desfavor de José Edson Gomes da Rocha, o "Barba Azul", assaltante de banco e também traficante de drogas. Ele foi preso por equipes do DRACO/PCCE.

“Vale salientar que mesmo encontrando-se presos, as condutas anteriormente praticadas pelos criminosos foram investigadas e apuradas, resultando em novos mandados de prisão, processos criminais e condenações, tudo de forma integrada com a Justiça e com o Ministério Público”, disse a PC por meio de nota.

A investigação conta com 18 meses de trabalhos realizados, de forma integrada com diversos órgãos de segurança, tendo ocorrido mais de 150 prisões no Rio Grande do Norte e em vários outros estados da federação.


Notas

Tekton

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário