13 ABR 2024 | ATUALIZADO 13:43
SAÚDE
31/12/2023 15:33
Atualizado
31/12/2023 15:55

Hospital Maternidade Almeida Castro: 17 mil atendimentos em 2023

A+   A-  
Média mensal de 1.600 atendimentos, sendo que 40% deste total são nascimentos de bebês de Mossoró e demais municípios do Oeste do RN. Instituição é composta por estrutura de Gestação de Alto Risco, Centro Obstétrico, UTI Adulto, UTI Neonatal, Berçário, Método Canguru, entre outros setores voltados ao social e apoio, como nutrição, lavanderia, serviços e esterilização. Os meses que mais nascem bebês são janeiro (antecede o mês do Carnaval) e Maio (antecede os festejos de junho). Mais de 90% dos atendimentos do HMAC são custeados pelo SUS.
Imagem 1 -  Média mensal de 1.600 atendimentos, sendo que 40% deste total são nascimentos de bebês de Mossoró e demais municípios do Oeste do RN.  Instituição é composta por estrutura de Gestação de Alto Risco, Centro Obstétrico, UTI Adulto, UTI Neonatal, Berçário, Método Canguru, entre outros setores voltados ao social e apoio, como nutrição, lavanderia, serviços e esterilização.  Os meses que mais nascem bebês são janeiro (antecede o mês do Carnaval) e Maio (antecede os festejos de junho). Mais de 90% dos atendimentos do HMAC são custeados pelo SUS.
Média mensal de 1.600 atendimentos, sendo que 40% deste total são nascimentos de bebês de Mossoró e demais municípios do Oeste do RN. Instituição é composta por estrutura de Gestação de Alto Risco, Centro Obstétrico, UTI Adulto, UTI Neonatal, Berçário, Método Canguru, entre outros setores voltados ao social e apoio, como nutrição, lavanderia, serviços e esterilização. Os meses que mais nascem bebês são janeiro (antecede o mês do Carnaval) e Maio (antecede os festejos de junho). Mais de 90% dos atendimentos do HMAC são custeados pelo SUS.

O Hospital Maternidade Almeida Castro (HMAC), de Mossoró-RN, fechou o ano de 2023 realizando mais de 17 mil atendimentos, sendo que aproximadamente 7,5 mil de partos.

O HMAC é gerido pela Associação de Proteção e Assistência à Maternidade e Infância de Mossoró (APAMIM), que está sob intervenção judicial federal desde outubro de 2014.

A instituição tem no comando Larizza Queiroz, interventora nomeada pela Justiça Federal. Com ela, as equipes de todos os setores da instituição empenhados na prestação do serviço.

Atende a população de Mossoró (cerca de 300 mil/hab.) e de outros 64 municípios do Oeste do Rio Grande do Norte, onde residem mais de 920 mil habitantes.

Também não deixa de atender quem vem de outros estados, como Paraíba (PB) e Ceará (CE), por se tratar de uma unidade de saúde filantrópica ofertando serviços SUS.

Os meses do ano que o HMAC registra o maior número de atendimento é janeiro (1.708), que antecede o período de Carnaval, e maio (1.740), que antecede o período do MCJ.

Com cerca de 180 leitos instalados, o HMAC faz uma média de 1.500 atendimentos/mês. Além de partos de alta, média e baixa complexidade, também realiza milhares de cirurgias eletivas.

O perfil assistencial aponta para referência regional à assistência Materno- Infantil, urgência e emergência ginecológica, cirurgias eletivas, planejamento familiar pós-parto imediato.

Em sua estrutura, o HMAC dispõe de UTI adulto (10 leitos), UTI neonatal (17 leitos), Berçário (15 leitos), Unidade de Canguru (18 leitos), setor de internação de gestantes com gravidez de alto risco (20 leitos), a toda estrutura de nutrição, esterilização, lavanderia e manutenção.

Destaca-se ainda, alcançando a pauta social, os programas como: Flor de Lótus, Consultório Familiar, Adoção Legal, Casa da Mãe Coruja e follow-up (atendimento gratuito para crianças que nascem prematuras ou com baixo peso (25% dos nascimentos) por até 2 anos.

A intervenção judicial

A equipe de interventores judiciais, sob o comando da diretora-geral Larizza Queiroz, assumiu controle administrativo da APAMIM em outubro de 2014, com a missão de reestruturar e retomar os atendimentos de obstetrícia no Hospital Maternidade Almeida Castro, e, ao mesmo tempo, negociar e pagar dívidas de dezenas de milhões junto aos servidores, receita federal, fornecedores, prestadores de serviços, entre outros órgãos. 

Esta missão dos interventores judiciais na APAMIM, com o início da pandemia em 2020, dobrou. APAMIM assumiu a administração do Hospital de Campanha São Luiz, abrindo cerca de 100 leitos para atender pacientes com Covid19 de todo o Oeste do Rio Grande do Norte, em Mossoró. Foram quase 3 mil pacientes atendidos. Esta missão foi encerrada com sucesso, em 2021. Atualmente, além do HMAC, a equipe da APAMIM também administra o funcionamento do Hospital Regional da Polícia Militar.

Este trabalho, que estatisticamente salva centenas de vidas a cada ano, foi reconhecido publicamente, recentemente, pelo Conselho Regional de Medicina (CREMERN), quando condecorou a diretora-geral da APAMIM, Larizza Queiroz, com a comenda Amigo da Medicina. Antes, em 2019, o juiz Orlan Donato Rocha, da Oitava Vara Federal, também recebeu a comenda Amigo da Medicina. À época, o juiz Orlan Donato era titular da ação. 

O trabalho foi documentado vídeo do CREMERN. A intervenção da Justiça Federal na APAMIM também recebeu o reconhecimento público do Conselho Nacional de Justiça, que esteve com sua equipe vistoriando o trabalho em Mossoró, há poucos anos. O mesmo trabalho de inspeção e posterior reconhecimento do feito em benefício da vida foi realizado pelo Corregedor Geral de Justiça, desembargador Élio Siqueira.   

Notas

Tekton

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário