13 ABR 2024 | ATUALIZADO 13:43
SAÚDE
23/02/2024 09:10
Atualizado
23/02/2024 09:10

Saiba como ter acesso a absorventes gratuitos no RN; em Mossoró são 28 farmácias habilitadas

A+   A-  
A iniciativa faz parte do Programa de Proteção e Promoção da Saúde e Dignidade Menstrual do governo federal e visa acabar com as dificuldades trazidas pela pobreza menstrual. A oferta de absorventes é direcionada a estudantes da rede pública de baixa renda, pessoas em situação de rua ou em vulnerabilidade extrema e a população recolhida em unidades do sistema prisional; veja como ter acessos aos absorventes de forma gratuita.
Imagem 1 -  Saiba como ter acesso a absorventes gratuitos no RN; em Mossoró são 28 farmácias habilitadas. A iniciativa faz parte do Programa de Proteção e Promoção da Saúde e Dignidade Menstrual do governo federal e visa acabar com as dificuldades trazidas pela pobreza menstrual. A oferta de absorventes é direcionada a estudantes da rede pública de baixa renda, pessoas em situação de rua ou em vulnerabilidade extrema e a população recolhida em unidades do sistema prisional; veja como ter acessos aos absorventes de forma gratuita.
Saiba como ter acesso a absorventes gratuitos no RN; em Mossoró são 28 farmácias habilitadas. A iniciativa faz parte do Programa de Proteção e Promoção da Saúde e Dignidade Menstrual do governo federal e visa acabar com as dificuldades trazidas pela pobreza menstrual. A oferta de absorventes é direcionada a estudantes da rede pública de baixa renda, pessoas em situação de rua ou em vulnerabilidade extrema e a população recolhida em unidades do sistema prisional; veja como ter acessos aos absorventes de forma gratuita.

Absorventes gratuitos estão sendo distribuídos para pessoas em situação vulnerabilidade em todo o país, desde o mês de janeiro. O acesso ao item de higiene é feito via Farmácia Popular, que conta com 548 estabelecimentos habilitados para distribuição em 142 cidades do Rio Grande do Norte.

A iniciativa faz parte do Programa de Proteção e Promoção da Saúde e Dignidade Menstrual do governo federal e visa acabar com as dificuldades trazidas pela pobreza menstrual. Nos últimos dias, foi lançada a cartilha “Programa Dignidade Menstrual - um ciclo de respeito” que está disponível no portal do Ministério da Saúde.

O material traz informações detalhadas sobre como funciona, o passo a passo para acessar o benefício, os pré-requisitos para participar, onde e quantos absorventes podem ser retirados. O guia também explica como baixar o aplicativo Meu Sus Digital, já que é necessário gerar uma autorização dentro do app, antes de se dirigir a uma das farmácias.

CONFIRA A CARTILHA

A oferta de absorventes é direcionada a estudantes da rede pública de baixa renda, pessoas em situação de rua ou em vulnerabilidade extrema e a população recolhida em unidades do sistema prisional.

O programa traz, ainda, estratégias para conscientização da população e qualificação técnica de agentes públicos, que têm sido desenvolvidas pelo ministério desde 2023, com a abordagem de temas como a menarca (primeira menstruação), prevenção de infecções, doenças e combate aos estigmas que envolvem esta condição.

QUEM PODE PARTICIPAR

Pessoas com idade entre 10 e 49 anos de idade e que estão inscritas no Cadastro Único (CadÚnico) do governo federal.

Além disso, é necessário estar em uma das seguintes situações:

Encontrar-se em situação de vulnerabilidade social extrema (renda familiar mensal de até R$ 218 por pessoa);

Ser estudante da rede pública de ensino e de baixa renda (meio salário mínimo);

Estar em situação de rua, sem limite de renda.

O que é necessário para retirar os absorventes

Apresentar a autorização emitida no aplicativo Meu SUS digital;

Levar documento de identidade com foto e CPF.

A quem recorrer em caso de dificuldades de acesso ao programa?

É possível obter ajuda na Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima. Os profissionais da unidade poderão oferecer orientações e, caso necessário, imprimir a autorização do Programa Dignidade Menstrual para a pessoa interessada.

Além disso, outros canais podem ser usados para auxílio:

Disque Saúde 136;

Centros de Referência da Assistência Social – CRAS e CREAS;

Escolas da rede pública de ensino fundamental ou médio, tanto municipais, como estaduais e federais;

Centros POP, centros de acolhimento e Consultórios na Rua; e

Outros estabelecimentos públicos que atendam mulheres e pessoas em situação de vulnerabilidade social.



Notas

Tekton

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário