13 ABR 2021 | ATUALIZADO 18:12
Matéria
25/04/2019 09:31
Atualizado
25/04/2019 09:35

Governo e Construtora garantem continuidade das obras no Hospital da Mulher

A+   A-  
Em reunião com o governo, Construtora CG reconheceu que não existe atraso por parte do Governo do Estado, anunciou a suspensão dos avisos prévios dos operários e assumiu compromisso de concluir a obra até julho de 2020, conforme compromisso firmado com o Banco Mundial.
Imagem 1 -  Engenheiros e advogados da CG Construções em reunião com o secretário Fernando Mineiro, do  Governo do Estado, reconheceram que não existem atrasos por parte do Governo do Estado e assumiram compromissos de suspender os avisos prévios
Engenheiros e advogados da CG Construções em reunião com o secretário Fernando Mineiro, do Governo do Estado, reconheceram que não existem atrasos por parte do Governo do Estado e assumiram compromissos de suspender os avisos prévios

A continuidade das obras do Hospital Regional da Mulher, em Mossoró, está garantida. É o que informa o Governo do Estado após reunião com os engenheiros e advogados da Construtora CG Construções, ocorrida nesta terça-feira (23) na Governadoria, em Natal.

Além da questão dos avisos prévios de dezenas de trabalhadores, a construtora e o governo discutiram também sobre o cronograma a ser seguido, com previsão de conclusão em julho de 2020, e sobre os aditivos ao contrato solicitados pela empresa ao Banco Mundial e ao Estado.

Diante do que foi discutido, CG Construções reafirmou a intenção de continuar executando a obra ao secretário Fernando Mineiro, de Gestão de Projetos e coordenador do Governo Cidadão. O Hospital Regional da Mulher está sendo erguido perto do Campus da UERN.

No dia 10 deste mês de abril, o secretário de saúde Cipriano Correia e técnicos do Banco Mundial visitaram as obras de construção do Hospital Regional da Mulher. Na ocasião, ouviram dos engenheiros da CG Construções a obra seria concluída em julho de 2020.

Veja mais :

Banco Mundial quer concluir Hospital Regional da Mulher até julho de 2020

Hospital da Mulher tem 30% das obras concluídas e deve ficar pronto em 2020


Na ocasião, o MOSSORÓ HOJE conversou com Esaú Pontes, do Banco Mundial, sobre o andamento e a previsão de conclusão das obras do Hospital Regional da Mulher. 

A obra está orçada em mais de R$ 100 milhões, sendo que metade deste valor está sendo destinado para a construção do prédio e a outra metade para compra de equipamentos. O empreendimento está sendo erguido com recursos pegos emprestados do Banco Mundial.  

A empresa CG Construção ainda reconheceu, durante a reunião com o secretário Fernando Mineiro, que não existe atraso no pagamento dos serviços por parte do Governo e comunicou a suspensão do aviso prévio dos operários, concedido na semana passada.

Mineiro por sua vez reafirmou o compromisso do Governo do Estado de concluir o hospital, que atenderá cerca de 20 mil pessoas por ano quando pronto. E registrou que já foram iniciadas as discussões em torno da gestão que será adotada para o complexo e também sobre a licitação dos equipamentos, a primeira internacional do Rio Grande do Norte.

"O Hospital Regional da Mulher é uma prioridade para a governadora Fátima Bezerra e por isso nosso empenho em resolver todos os entraves relacionados à obra. Ela continua em andamento e a reunião serviu para alinharmos esforços com vistas a cumprir o cronograma e proceder aos aditivos necessários.

Através do diálogo transparente, firme e respeitoso, cumprindo à risca as responsabilidades definidas no contrato com a empresa, vamos continuar na busca de solução para os problemas herdados da gestão anterior que envolvem tão importante obra", acrescentou Mineiro.

O secretário de Infraestrutura Gustavo Coelho também participou da reunião, que contou ainda com a presença das equipes jurídica e de engenharia do Governo Cidadão, o engenheiro fiscal da obra, Ronald Dantas, os representantes da gerenciadora ATP/Concremat, Patrícia Cortez e Carlos Ximenes e os representantes da CG Construções, Viana Júnior (diretor), Anderson Laurentino (advogado), Felipe Honório (advogado) e Sérgio Silva (engenheiro). 


Notas

Posto JP Fevereiro de 2021

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário