25 AGO 2019 | ATUALIZADO 17:47
SAÚDE

Sesap discute plano para a regionalização da saúde no Rio Grande do Norte

As conversas são parte do processo de regionalização da Saúde, dentro do qual são organizadas macrorregiões, com foco nas redes de atenção à saúde. A macrorregião será a referência para a alocação dos recursos financeiros destinados às ações e serviços de saúde.
13/08/2019 15:50
Atualizado
13/08/2019 15:52
A+   A-  
Sesap discute plano para a regionalização da saúde no Rio Grande do Norte
“A implementação do PRI consiste num importante desafio para a reestruturação do SUS no estado. É fundamental que ele não seja apenas mais um processo burocrático, mas que produza resultados na prática”, diz Cipriano Maia.
FOTO: DA TRIBUNA DO NORTE

Nesta terça-feira (13) subcoordenadores e técnicos da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) se reuniram-se com o secretário de estado da Saúde, Cipriano Maia, e com a consultora do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS), Monique Fazzi, para discutir o Planejamento Regional Integrado da Saúde (PRI) no RN.

O PRI faz parte do processo de regionalização da Saúde, dentro do qual são organizadas macrorregiões, com foco nas redes de atenção à saúde. A macrorregião será a referência para a alocação dos recursos financeiros destinados às ações e serviços de saúde.

De acordo com Cipriano Maia, “a implementação do PRI consiste num importante desafio para a reestruturação do SUS no estado. É fundamental que ele não seja apenas mais um processo burocrático, mas que produza resultados na prática, articulando todas as áreas e Redes de Atenção à Saúde, também considerando, nesse processo, como racionalizar os recursos de pessoal, equipamentos e financeiros”.

Veja mais:

Secretário trata sobre policlínicas com os prefeitos nesta terça em Mossoró


Segundo a subcoordenadora de Desenvolvimento e Acompanhamento de Programações de Saúde da Sesap, Avânia Dias, as macrorregiões de saúde já foram definidas e pactuadas.

A próxima etapa do planejamento será o diagnóstico e análise situacional, para identificar as necessidades de saúde da população e da capacidade instalada nas regiões de saúde.

Em seguida, será feita a organização dos pontos de atenção da Rede de Atenção à Saúde, para garantir a integralidade da atenção à saúde para a população.

Além disso, o PRI engloba etapas como a definição das prioridades sanitárias, identificação dos vazios assistenciais e sobreposição de serviços para fins de orientar a alocação de recursos, entre outras.

“Nosso objetivo é dar prosseguimento às etapas do PRI, de forma alinhada à construção do Plano Estadual de Saúde, que deve ser orientado pelas necessidades de saúde da população”, explica Avânia Dias.


Notas

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário