19 JUN 2024 | ATUALIZADO 11:17

COLUNA ESPLANADA

  [COLUNA ESPLANADA] Os auditores fiscais federais agropecuários do Ministério da Agricultura, que fazem a fiscalização de todos os frigoríficos do País, deflagraram operação tartaruga. Por ordem do presidente Lula da Silva, o ministro Carlos Fávaro determinou a criação de um Grupo de Trabalho para a regulamentação do autocontrole nos estabelecimentos. Com essa ferramenta, os auditores perdem muito poder dentro da pasta, já que cada frigorífico passa a fazer sua própria fiscalização e sem a participação dos servidores. O secretário de Defesa Agropecuária, Carlos Goulart, é o presidente do GT que tem no máximo 60 dias para encerrar o serviço. A categoria ameaça entrar em greve.
[COLUNA ESPLANADA] Auditores fiscais federais do Ministério da Agricultura ameaçam greve

10/04/2024 10:58

Os auditores fiscais federais agropecuários do Ministério da Agricultura, que fazem a fiscalização de todos os frigoríficos do País, deflagraram operação tartaruga. Por ordem do presidente Lula da Silva, o ministro Carlos Fávaro determinou a criação de um Grupo de Trabalho para a regulamentação do autocontrole nos estabelecimentos. Com essa ferramenta, os auditores perdem muito poder dentro da pasta, já que cada frigorífico passa a fazer sua própria fiscalização e sem a participação dos servidores. O secretário de Defesa Agropecuária, Carlos Goulart, é o presidente do GT que tem no máximo 60 dias para encerrar o serviço. A categoria ameaça entrar em greve.

  [COLUNA ESPLANADA] A despeito das especulações sobre minirreforma na Esplanada, o presidente Lula da Silva deve arrumar primeiro a cozinha. Os palacianos Rui Costa (Casa Civil) e Miriam Belchior (secretária-executiva da Casa) mal se falam, garante quem acompanha a rotina. Belchior não repassa todos os assuntos que trata direto com o presidente, em especial projetos do PAC III. Os colegas palacianos tentam, sem sucesso, armistício entre a dupla ou saída honrosa para Belchior, já que Costa é da cota do senador Jaques Wagner (PT-BA), o conselheiro do presidente – e quem o Barba gostaria que assumisse o posto desde o início. Tem ingrediente eleitoral nesse cenário. Miriam não tem voto, é a face técnica do Governo – herdada da gestão Dilma Rousseff. Já Costa vem da Bahia, que deu 1,5 milhão de votos de frente para Lula na eleição de 2022 contra Jair Bolsonaro.
[COLUNA ESPLANADA] Minirreforma na Esplanada deve começar pela cozinha

09/04/2024 09:13

A despeito das especulações sobre minirreforma na Esplanada, o presidente Lula da Silva deve arrumar primeiro a cozinha. Os palacianos Rui Costa (Casa Civil) e Miriam Belchior (secretária-executiva da Casa) mal se falam, garante quem acompanha a rotina. Belchior não repassa todos os assuntos que trata direto com o presidente, em especial projetos do PAC III. Os colegas palacianos tentam, sem sucesso, armistício entre a dupla ou saída honrosa para Belchior, já que Costa é da cota do senador Jaques Wagner (PT-BA), o conselheiro do presidente – e quem o Barba gostaria que assumisse o posto desde o início. Tem ingrediente eleitoral nesse cenário. Miriam não tem voto, é a face técnica do Governo – herdada da gestão Dilma Rousseff. Já Costa vem da Bahia, que deu 1,5 milhão de votos de frente para Lula na eleição de 2022 contra Jair Bolsonaro.

  [COLUNA ESPLANADA] A Polícia Federal abriu investigação contra 10 servidores da Penitenciária Federal de Segurança Máxima de Mossoró. Seriam suspeitos de facilitar a fuga dos dois detentos ligados ao Comando Vermelho. Como a Coluna já publicou, há suspeita de que todos estavam num surreal “home-office”. E não seria a 1ª vez, de tanto que os funcionários consideravam... segura a prisão.
[COLUNA ESPLANADA] Servidores estariam em “home-office” durante fuga de detentos em Mossoró

08/04/2024 09:38

A Polícia Federal abriu investigação contra 10 servidores da Penitenciária Federal de Segurança Máxima de Mossoró. Seriam suspeitos de facilitar a fuga dos dois detentos ligados ao Comando Vermelho. Como a Coluna já publicou, há suspeita de que todos estavam num surreal “home-office”. E não seria a 1ª vez, de tanto que os funcionários consideravam... segura a prisão.

  [COLUNA ESPLANADA] Além do presidente do BNDES, Aloizio Mercadante, outro nome ganha força para substituir Jean Paul Prates, no comando da Petrobras: o da secretária-executiva da Casa Civil, Miriam Belchior, que foi conselheira da empresa no Governo de Dilma Rousseff. Há tempos o presidente Lula da Silva cogita alçar a aliada fundadora do PT e tudo indica que chegou a hora.
[COLUNA ESPLANADA] Nome de Miriam Belchior ganhar força para substituir Prates na Petrobras

05/04/2024 10:41

Além do presidente do BNDES, Aloizio Mercadante, outro nome ganha força para substituir Jean Paul Prates, no comando da Petrobras: o da secretária-executiva da Casa Civil, Miriam Belchior, que foi conselheira da empresa no Governo de Dilma Rousseff. Há tempos o presidente Lula da Silva cogita alçar a aliada fundadora do PT e tudo indica que chegou a hora.

  [COLUNA ESPLANADA] A seis meses das eleições municipais, o Pardal – aplicativo para realização de denúncias sobre supostas irregularidades durante as campanhas eleitorais – já começou a receber relatos pontuais de possíveis casos de propaganda eleitoral antecipada. Durante a pré-campanha, período que vai até 16 de agosto - quando tem início oficialmente a propaganda eleitoral -, os pré-candidatos a prefeito e vereador não podem fazer publicidade oficial com intuito eleitoral e não podem pedir voto. O descumprimento pode gerar multas e até cassação do registro e inelegibilidade. Nas Eleições Gerais de 2022, foram recebidas 40.275 denúncias em todo o Brasil. A região Sudeste liderou o ranking, com 14.103 registros, seguida pelas regiões Nordeste (12.033), Sul (6.810), Centro-Oeste (4.481) e Norte (2.848). No pleito municipal de 2020, foram 105.543 registros em todo o País.
[COLUNA ESPLANADA] Pardal já começou a receber relatos de irregularidades em campanhas eleitorais

04/04/2024 09:54

A seis meses das eleições municipais, o Pardal – aplicativo para realização de denúncias sobre supostas irregularidades durante as campanhas eleitorais – já começou a receber relatos pontuais de possíveis casos de propaganda eleitoral antecipada. Durante a pré-campanha, período que vai até 16 de agosto - quando tem início oficialmente a propaganda eleitoral -, os pré-candidatos a prefeito e vereador não podem fazer publicidade oficial com intuito eleitoral e não podem pedir voto. O descumprimento pode gerar multas e até cassação do registro e inelegibilidade. Nas Eleições Gerais de 2022, foram recebidas 40.275 denúncias em todo o Brasil. A região Sudeste liderou o ranking, com 14.103 registros, seguida pelas regiões Nordeste (12.033), Sul (6.810), Centro-Oeste (4.481) e Norte (2.848). No pleito municipal de 2020, foram 105.543 registros em todo o País.


Notas

Relativa

Publicidades