22 MAI 2024 | ATUALIZADO 23:42

NACIONAL

  [COLUNA ESPLANADA] Partidos políticos podem ajudar e muito as vítimas da tragédia no Rio Grande do Sul doando parte do fundo eleitoral para as regiões afetadas. Essa é a ideia defendida pelo senador Jorge Kajuru (PSB-GO). O chamado Fundão destinará R$ 4,96 bilhões para financiar as eleições municipais de 2024.
[COLUNA ESPLANADA] Parte do “Fundão” pode ser doado às vítimas do Rio Grande do Sul

09/05/2024 09:10

Partidos políticos podem ajudar e muito as vítimas da tragédia no Rio Grande do Sul doando parte do fundo eleitoral para as regiões afetadas. Essa é a ideia defendida pelo senador Jorge Kajuru (PSB-GO). O chamado Fundão destinará R$ 4,96 bilhões para financiar as eleições municipais de 2024.

  Judiciário transfere R$ 82 milhões à Defesa Civil do Rio Grande do Sul. O montante soma R$ 58 milhões dos tribunais e R$ 24 milhões das varas do RS e diz respeito a valores que estavam depositados judicialmente em decorrência da aplicação de penas pecuniárias (em dinheiro). “É uma colaboração importante para ajudar a enfrentar os estragos causados pelas fortes chuvas e ajudar as milhares de pessoas que estão desabrigadas, enfrentando falta de água, alimentos e desabastecimento intenso”, disse o presidente do STF e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministro Luís Roberto Barroso.
Judiciário transfere R$ 82 milhões à Defesa Civil do Rio Grande do Sul

08/05/2024 17:52

O montante soma R$ 58 milhões dos tribunais e R$ 24 milhões das varas do RS e diz respeito a valores que estavam depositados judicialmente em decorrência da aplicação de penas pecuniárias (em dinheiro). “É uma colaboração importante para ajudar a enfrentar os estragos causados pelas fortes chuvas e ajudar as milhares de pessoas que estão desabrigadas, enfrentando falta de água, alimentos e desabastecimento intenso”, disse o presidente do STF e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministro Luís Roberto Barroso.

  Governo do RS pede apoio da Força Nacional para combater saques e roubos. Ao todo, serão enviados 400 integrantes da Força Nacional e 120 viaturas. O governador Eduardo Leite também anunciou, no final da tarde desta terça-feira (7), a implementação do Programa Mais Efetivo, que visa reforçar as forças de segurança, a partir do emprego de militares inativos. A ideia é fortalecer o combate a práticas criminosas que se disseminaram durante a crise no Rio Grande do Sul.
Governo do RS pede apoio da Força Nacional para combater saques e roubos

08/05/2024 10:29

Ao todo, serão enviados 400 integrantes da Força Nacional e 120 viaturas. O governador Eduardo Leite também anunciou, no final da tarde desta terça-feira (7), a implementação do Programa Mais Efetivo, que visa reforçar as forças de segurança, a partir do emprego de militares inativos. A ideia é fortalecer o combate a práticas criminosas que se disseminaram durante a crise no Rio Grande do Sul.

  [COLUNA ESPLANADA] O líder do governo no Senado, senador Jaques Wagner (PT-BA), recebeu a missão do Planalto para reaproximar o ministro Fernando Haddad e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), após o atrito provocado por declarações do chefe da Fazenda. A estratégia deu certo: ambos admitem o fim das tensões e o diálogo foi retomado.
[COLUNA ESPLANADA] Jaques Wagner deve reaproximar o ministro Haddad e o presidente do Senado

08/05/2024 08:30

O líder do governo no Senado, senador Jaques Wagner (PT-BA), recebeu a missão do Planalto para reaproximar o ministro Fernando Haddad e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), após o atrito provocado por declarações do chefe da Fazenda. A estratégia deu certo: ambos admitem o fim das tensões e o diálogo foi retomado.

  [COLUNA ESPLANADA] Não foi só o ato esvaziado de 1º de Maio que levou o ministro Márcio Macêdo, da Secretaria-Geral da Presidência, à corda bamba. Há queixas da falta de integração do ministro com os titulares das Assessorias de Participação Social e Diversidade instituídas nos gabinetes de todos os ministérios pelo presidente Lula da Silva. A bancada do PT na Câmara tem pelos menos dois nomes para substituí-lo.
[COLUNA ESPLANADA] Ministro Márcio Macêdo segue na corda bamba

07/05/2024 08:36

Não foi só o ato esvaziado de 1º de Maio que levou o ministro Márcio Macêdo, da Secretaria-Geral da Presidência, à corda bamba. Há queixas da falta de integração do ministro com os titulares das Assessorias de Participação Social e Diversidade instituídas nos gabinetes de todos os ministérios pelo presidente Lula da Silva. A bancada do PT na Câmara tem pelos menos dois nomes para substituí-lo.


Notas

Tekton

Publicidades