13 ABR 2021 | ATUALIZADO 18:12
POLÍCIA
ANNA PAULA BRITO
03/02/2021 11:30
Atualizado
03/02/2021 11:33

Caso Espanta: suspeitos chamaram carro por aplicativo para irem matar desafetos na favela do fio

A+   A-  
O Delegado Valtair Camilo, titular da Delegacia de Homicídios de Mossoró, concedeu entrevista coletiva, na manhã desta quarta-feira (3), para falar sobre a prisão do último envolvido no latrocínio do motorista de aplicativo Carlos Reginaldo Nogueira Holanda Júnior, conhecido como Espanta, de 31 anos. O último suspeito e autor do disparo que matou a vítima foi preso nesta terça-feira (2), em Fortaleza.
Imagem 1 -
FOTO: ANNA PAULA BRITO

O Delegado Valtair Camilo, titular da Delegacia de Homicídios de Mossoró, concedeu entrevista coletiva, na manhã desta quarta-feira (3), para falar sobre a prisão do último envolvido no latrocínio do motorista de aplicativo Carlos Reginaldo Nogueira Holanda Júnior, conhecido como Espanta, de 31 anos.

Veja mais:

Ex-candidato a vereador em Mossoró é morto com tiro na cabeça

Polícia Civil prende terceiro envolvido no latrocínio de Júnior “Espanta”


De acordo com o delegado, Antônio Lucas Lobo Maia, preso em Fortaleza, nesta terça-feira (2), além de confessar que atirou na vítima, ainda deu mais detalhes sobre o crime.

Afirmou, inclusive, que Vanderclayton Leandro de Lima participou ativamente da ação e estava no local do crime. Vanderclayton, juntamente com Marcos Vinicius Silva dos Santos, foi preso no dia 22 de janeiro e havia dito em depoimento que só havia emprestado a arma do crime.

Veja mais:

Polícia Civil prende envolvidos no latrocínio de Carlos Jr. "Espanta"

“Atiraram por pura maldade”, diz delegado sobre latrocínio de “Espanta”


Lucas contou ao delegado que os três haviam tido uma reunião, por volta das 17h do dia 21 de janeiro (data do crime) e decidido que iriam matar desafetos na favela do fio.

Para isso, chamaram um carro por aplicativo, sendo atendidos por Carlos Reginaldo. No local, o motorista teria ficado nervoso e tentado fugir, sendo assassinado com um disparo na cabeça, desferido por Lucas.

O último suspeito foi encaminhado para a cadeia pública de Mossoró. O inquérito sobre o caso já foi concluído e remetido à justiça, tendo sido completamente elucidado.

Ainda segundo o delegado, dois dos envolvidos poderão pegar uma pena mínima de 20 a 30 anos de prisão e o terceiro, Marcos Vinicius, que também foi encontrado com drogas, ainda deverá ter acréscimo de pena por este crime.


Notas

Posto JP Fevereiro de 2021

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário