13 ABR 2021 | ATUALIZADO 18:12
EDUCAÇÃO
07/03/2021 15:08
Atualizado
07/03/2021 16:48

"Estes alunos serão acompanhados sim", diz secretária sobre o caso Mel

A+   A-  
Hubeônia Alencar disse que durante a primeira semana de março será feito um levantamento, pelos professores, dos alunos que não terão como assistir aulas remotamente, por falta de equipamento adequado. Em seguida, ela disse que vai buscar uma saída, que pode ser estes alunos estudarem nos computadores da escola
Imagem 1 -  Hubeônia Alencar disse que durante a primeira semana de março será feito um levantamento, pelos professores, dos alunos que não terão como assistir aulas remotamente, por falta de equipamento adequado. Em seguida, ela disse que vai buscar uma saída, que pode ser estes alunos estudarem nos computadores da escola
Hubeônia Alencar disse que durante a primeira semana de março será feito um levantamento, pelos professores, dos alunos que não terão como assistir aulas remotamente, por falta de equipamento adequado. Em seguida, ela disse que vai buscar uma saída, que pode ser estes alunos estudarem nos computadores da escola

A Secretaria Hubeônia Alencar, da Educação, disse que está em fase de conclusão do estudo para saber a quantidade exata e onde estão as crianças que não dispõe das condições técnicas adequadas para assistirem aula remotamente. A reportagem do MH mostrou o caso da Menina Mel Nogueira, residente em frente à escola da localidade de Pedra Branca.

Veja mais

Menina de 9 anos divide celular com o irmão e uma amiga para conseguirem estudar

A menina Mel, de 9 anos, ficou sem assistir aulas em 2020. A professora gentilmente lhe emprestou um celular, pequeno, que não comportava o APP para assistir as aulas, mas suficiente para que ela pudesse, através do WhatsApp repassasse as lições.

Mel percebeu que a amiga Letícia também estava sem aulas por falta de um celular ou computador para receber as lições da professora. As duas passaram a estudar juntas. Em outro horário, o irmão de Mel, de 8 anos, também usava o mesmo aparelho.

Uma semana antes, o MH já havia conversado com a secretária Hubeônia Alencar. Ela havia declaro que a gestão anterior não tinha este levantamento. Não se tem nem noção de quantos alunos precisam deste apoio técnico para assistir aulas remotamente durante a pandemia.

A saída foi, na primeira semana de aulas, fazer um levantamento, através dos professores, para saber quantos alunos precisam do aparelho para assistirem as aulas. Mel, o irmão e amiga Letícia estão entre os estudantes que não tem como assistir as aulas.

A Secretaria Hubeônia Alencar assegurou que após o levantamento mostrar precisamente quem são e onde estão estes estudantes, vai adotar providências, para que todos assistam aulas e, que, também, será adotado medidas para que todos os professores dêem aulas.

Confira entrevista 


Uma das possibilidades levantadas pela secretária, é que estes estudantes vão assistir aulas em terminais de computadores instalados nas próprias escolas. Neste caso, já está em andamento o trabalho de recuperação do funcionamento destas máquinas.

Veja mais.

Prefeitura coloca computadores obsoletos nas escolas para funcionar

Entretanto, devido ao número elevado de estudantes que são de famílias humildes e não ter um celular ou um computador em casa para assistirem aulas, os computadores possíveis de serem recuperados nas escolas pode não ser suficiente. “Estamos buscando a melhor saída”, diz a secretaria de educação Hubeônia Alencar.

Seja qual for a saída, a secretária Hubeônia Alencar assegurou que serão cumpridas todas as normas sanitárias para conter o avanço do novo coronavirus. Ela destaca que os professores vão ter como ministrar as aulas e os estudantes terão como assistir.


Notas

Posto JP Fevereiro de 2021

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário